Versão impressa
Entrar / Cadastrar

Entrevista com Diretor Gensoir de Souza

Formado em pedagogia e filosofia, professor e também diretor conta sobre a importância do ensino presencial

Mineiro da cidade de Rio Espera, Gensoir de Souza, é o atual diretor da Escola Estadual Angélica de Jesus Ferreira, chegou na cidade de Biritiba Mirim lá nos anos 2000, e nunca mais foi embora. Atualmente com 46 anos, o professor e também diretor, é formado em filosofia, com duas especializações na área, e pedagogia. O diretor sempre foi muito envolvido em projetos que abrangem a comunidade, por isso o seu carisma, e empenho em ajudar, e ensinar a população seja o seu diferencial, “Sempre gostei muito de ler, escrever, isso sempre me chamou atenção. Acredito que a educação veio como consequência das escolhas que eu fiz durante o caminho. Sou apaixonado pelo que eu faço”, comenta o professor.

A educação foi um dos pilares que mais sofreram, no começo da pandemia do novo corona vírus, a incerteza do que estava por vir, o que esperar do novo modelo de ensino, assustou não só os alunos, mas, também os professores, que sempre estiveram à frente, para se doar ao máximo em seu trabalho. Gensoir conta como se sentiu “Pegou todo mundo de surpresa, no início não tinha tanto conhecimento como tem hoje, lidamos com o desconhecido, foi um período de reaprender, a gente teve que se reinventar”. O Ensino no Brasil, sempre foi muito criticado pela falta de infraestrutura, e durante a pandemia não seria diferente. Muito se falou de como prosseguiria o ensino durante todo esse tempo, o professor comenta que por parte do estado houve bastante investimento, como, o centro de mídias de São Paulo, mas que, “é claro que nós esbarramos em questões estruturais, tem bairros que não tem acesso nenhum a internet, tem alunos que não tem acesso ao celular, houve um investimento, mas há muitas questões ainda, de infraestrutura e socioeconômica” complementa o diretor.

O professor acredita que a principal defasagem no ensino durante esses quase dois anos de pandemia, foi com certeza, a perca do conteúdo escolar. Quanto a melhora, da educação na cidade de Biritiba ele diz, “será um trabalho ano após ano, não dá pra resolver de um dia pro outro, eu cheguei a juntar apostila no carro e sair para entregar nas casas dos alunos, para poderem ter um meio de aprendizagem”. Na escola em que o diretor atua, ele conta que a volta ás aulas ainda não estão normalizadas, muitos pais não autorizaram os filhos para o retorno, mas que todos seguem os protocolos sanitários, e que com a vacina a volta será gradual.

O ensino presencial nunca foi tão valorizado quanto no último ano, é o lugar onde todas as pessoas crescem, se tornam sociais, encontram o seu lugar no mundo, desenvolvem sua identidade e personalidade, essa sempre será a melhor opção. Gensoir reflete sobre a importância do ensino e um aprendizado que a pandemia causou “Eu penso no quanto o chão da escola é sagrado, a educação acontece nesse contato de estar junto. Ao mesmo tempo como a tecnologia está favorável nas situações mais difíceis do dia a dia, talvez seja um paradoxo do, quão importante é alinhar essas duas coisas, por isso acredito ser muito importante o ensino presencial.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Outras Notícias
Categoria
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit eiusmod tempor ncididunt ut labore et dolore magna